comercial@ibratep.com.br (11) 2093-6543 / 2092-3470 / 2092-8925 / 98467-4131 / 98308-4911 / 94509-7025

Fibra Óptica PON FTTH componentes e instalação e testes

Treinamento em de Redes de Fibras ópticas PON FTTH componentes e instalação e testes

( Distribuidores ópticos )

( Caixas de emenda óptica )

( Caixas de terminação óptica )                                                        

Objetivo

Promover o conhecimento sobre componentes e técnicas de instalação de redes de fibras ópticas de modo geral, enfatizando as particularidades das REDES PON FTTH que é a atual topologia de rede utilizada para o acesso aos usuários.

 

Item A – Cursos e público alvo

Curso 1 – Fibras ópticas e sistemas de comunicação.

Curso 2 – Montagem da Caixa de Emenda Óptica (CEO) para emenda e derivação de cabos ópticos.

Curso 3 – Montagem da Caixa de Terminação Óptica (CTO) e DIO

Publico alvo dos cursos 1, 2 e 3: Profissionais que desejam obter conhecimentos teóricos e práticos para trabalharem com redes ópticas. Serão adquiridos conhecimentos necessários e suficientes para habilitá-lo com trabalhos de instalação e reparos de redes de fibras ópticas.

 

Curso 4 – Redes FTTH PON, conceitos, aplicação  e operação

Publico alvo:Profissionais que necessitem de obter conhecimento dos vários aspectos de instalação, testes , operação e funcionamento de redes ópticas ponto multiponto. Serão adquiridos conhecimentos sobre essa atuas tecnologia de distribuição de serviços de voz, dados e imagem e os benefícios na sua adoção.

 

Curso 5 – Planejamento, orçamento de potencia, e desenho de redes PON FTTH

Publico alvo: Profissionais que tenham interesse em trabalhar com planejamento e instalação de Redes FTTH. Serão adquiridos conhecimentos necessários para habilitá-lo com o planejamento, levantamento de campo, cálculos de dimensionamento da rede,  trabalhos de instalação e reparos de redes de fibras ópticas.

 

Curso 7 – Equipamentos de testes e procedimentos de medidas em Redes FTTH

Publico alvo: Profissionais que tenham interesse em trabalhar com redes ópticas. Serão adquiridos conhecimentos necessários e suficientes para habilitá-lo com as atividades de testes de instalação e  reparos de Redes  FTTH, utilizando-se OTDR e Power Meter.

 

Curso 8 – OTDR, configuração, procedimentos de testes, análise de curvas e tabelas de eventos.

Publico alvo:Profissionais que tenham interesse em trabalhar com testes e análise de desempenho e manutenção de redes ópticas. Serão adquiridos conhecimentos sobre configuração, interpretação de curva e tabela de eventos e procedimentos de testes.

 

 

Curso 9 – Instalação de Rede FTTH

Publico alvo: Pessoas que atuam ou querem adquirir conhecimento para ingressarem na atividade de  instalação  Redes  FTTH

 

Item B - Condições gerais de realização

 

1 – Local de realização

Nas dependências do SINTTEL ou outro local na cidade de Santos

2 – Número de participantes

Máximo: 20 pessoas

 

3 – Material didático

Será encaminhado ao SINTTEL as apostilas em meio eletrônico para impressão local.

Equipamentos como Maquina de emenda por fusão, OTDR e Fonte de Luz e Power Meter serão fornecidos pelo instrutor.

Caixas de emenda ( CEO ), caixas de terminação ( CTO ), DIO e consumíveis serão objetos de avaliação quanto ao fornecimento.

 

 

Item C - Programas, carga horária teórica e prática.

 

Curso 1 – Fibras ópticas e sistemas de comunicação

1 – Introdução

2 – Características físicas da fibra óptica

2.1 – Composição material

2.2 – Características geométricas

2.2.1 – Circularidade da casca

2.2.2 – Circularidade do núcleo

2.2.3 – Excentricidade do núcleo

2.3 – Dimensões

3 – Propagação da luz na fibra óptica

3.1 – Refração no interior do núcleo

3.2 – Reflexão total no interior do núcleo

3.3 – Índice de refração

3.4 – Modos de propagação

4 – Características da luz propagante na fibra óptica

4.1 – Luz visível

4.2 – Luz invisível

5 – Fontes e detectores de luz

5.1 – Características da fonte de luz LED

5.2 – Características da fonte de luz LASER

5.3 – Características do detector de luz

6 – Comprimentos de onda de operação

7 – Janela óptica de operação

8 – Tipos de fibras ópticas

8.1 – Fibra óptica multímodo

8.1.1 – Fibra óptica multímodo índice degrau (ID)

8.1.1 – Fibra óptica multímodo índice gradual (IG)

8.2 – Fibra óptica monomodo

8.2.1 – Fibra óptica monomodo standard (SMF)

8.2.2 – Fibra óptica monomodo com dispersão deslocada nula (DS)

8.2.3 – Fibra óptica monomodo com dispersão deslocada não nula ( NZDSF )

8.2.1 – Fibra óptica monomodo com dispersão plana (LWP)

9 – Atenuação

9.1 – Fatores Intrínsecos

9.1.1 – Espalhamento

9.1.1.1 – Espalhamento de Rayleigh

9.1.1.2 – Espalhamento de Mie

9.1.1.3 – Espalhamento de Raman

9.1.1.4 – Espalhamento estimulado de Brilouin

9.1.2 – Absorção

9.1.2.1 – Absorção material

9.1.2.2 – Absorção por impurezas

9.1.3 – Microcurvaturas

9.2 – Fatores Extrínsecos

9.2.1 – Perdas por curvatura

9.2.2 – Perda devido à emenda

9.2.2.1 - Sujeira na fibra óptica

9.2.2.2 – Clivagem (corte) com defeito

9.2.2.3 – Bolha na emenda

9.2.2.4 – Elipsidade do núcleo

9.2.2.5 – Fibras de fabricantes diferentes

9.2.3 – Perda devido à conector

9.2.3.1 - Excentricidade do núcleo do ferrolho do conector

9.2.3.2 – Excentricidade do núcleo da fibra

9.2.3.3 – Clivagem ruim da fibra de um conector

9.2.3.4 – Elipsidade do núcleo da fibra

10 – Dispersão ( espalhamento )

10.1 – Dispersão modal

10.1.1 – Dispersão modal em fibras multímodo de perfil de índice degrau (ID)

10.1.2 – Dispersão modal em fibras multímodo de perfil de índice gradual ( IG )

10.2 – Dispersão cromática

11 – Emendas em fibras ópticas

11.2 - Atenuações em Emendas Ópticas

11.2.1 - Fatores Intrínsecos

11.2.2 – Fatores Extrínsecos

11.2.3 – Fatores Reflexivos

11.3 – Emenda por Fusão

11.4 – Emenda Óptica Mecânica

11.5 – Emenda por Conectores

11.5.1 – Conector e alinhador E2000 PC/APC

11.5.2 – Conector e alinhador SC PC / APC

11.5.3 – Conector e alinhador LC PC / APC

11.5.4 – Conector e alinhador FC PC / APC

11.5.5 – Conector e alinhador MTRJ

12 – Vantagens e desvantagens das fibras ópticas em relação aos outros meios de comunicação.

12.1 – Vantagens das fibras ópticas

12.1.1 - Baixa atenuação

12.1.2 - Banda passante larga

12.1.3 - Imunidade a interferência eletromagnética e ruídos

12.1.4 - Efeito “crosstalk” desprezível

12.1.5 - Isolação elétrica

12.1.6 - Tamanho e peso reduzidos

12.7 - Segurança da informação e do sistema

12.1.8 - Flexibilidade na expansão da capacidade dos sistemas

12.1.9 - Alta resistência a agentes químicos e variações de temperatura

12.1.10 - Custos potencialmente baixos

12.2 – Desvantagens das fibras ópticas

12.2.1 – Fragilidade

12.2.2 - Dificuldade de Conexões

12.2.3 - Acopladores tipo T com perda alta

12.2.4 - Impossibilidade de alimentação remota

12.2.5 - Cobre vs. meio Óptico

13 – Aplicações

13.1 - Aplicações na Medicina e na Odontologia

13.2 - Sensores Ópticos

13.3 - Aplicações Militares

13.4 - Sistema de Comunicações

13.5 - Cabos Submarinos

14 – Exercícios de fixação

15 – Dicionário de termos técnicos da fibra óptica

Atividades práticas: Realização de fusão com máquina de emenda.

Abertura de cabos ópticos e identificação de fibras.

Carga horária : 16hs ( 8hs teóricas e 8hs práticas )

Curso 2 – Montagem da Caixa de Emenda Óptica (CEO) para emenda e derivação de cabos.

2.1 – Componentes da CEO

2.2 – Preparação do cabo e identificações dos grupos

  • – Fixação do cabo
  • – Preparação das bandejas

2.5 – Simulação de fibras, fusão e acomodação nas bandejas.

2.6 – Fechamento da CEO

Carga horária : 8hs de atividades práticas

 

Curso 3 – Montagem da Caixa de Terminação Óptica (CTO) e CTO

  • - Componentes da CTO
  • - Preparação do cabo e identificações dos grupos
  • - Fixação do cabo

3.4 - Fechamento da CTO

3.5 – Componentes do DIO

3.6– Preparação do cabo

3.7 – Ancoragem do cabo óptico na caixa

3.8 – Acomodação dos elementos básicos

3.9 – Acomodação das fibras na bandeja

3.10 – Fusão das fibras

Carga horária : 8hs de atividades práticas

 

 

Curso 4  – Redes FTTH PON, conceitos, aplicação e operação

1 – Noções básicas de uma rede com fibras ópticas.

1.1 – Rede óptica ponto a ponto P2P

1.2 – Rede óptica ponto multiponto PMP

1.3 – Redes de transporte

1.4 – Rede de acesso

1.4.1 - Redes de acesso via fibra óptica e cabo coaxial (HFC)

1.4.2 - Redes de acesso via fibra óptica

2 – Rede Óptica Passiva – PON

2.1 – Características da rede  EPON - Ethernet Passive Optical Network

2.2 – Características da rede GPON - Gigabit Passive Optical Network

2.3 – Topologia  da rede PON

2.4 – Arquiteturas da rede PON

2.4.1 - Solução FTTB – Fibra até o Prédio

2.4.2 - Solução FTTC – Fibra até o Armário

2.4.3 - Solução FTTN – Fibra até o Nó

2.4.4 - Solução FTTH – Fibra até a Casa

3 – Componentes principais da arquitetura PON

3.1 – OLT – Optical Line Terminal

3.2 – ONU – Optical Network Unit

3.3 – Splitter, divisor óptico passivo

 

4 – Componentes passivos e acessórios da rede óptica PON

4.1 – Cabos ópticos

4.2 – Spitters ( divisores/somadores ópticos) ópticos

4.2.1 – Splitters balanceados

4.2.2 – Splitters desbalanceados

4.3 – Caixas para instalação em cabos de fibras ópticas

4.3.1 – Caixa para emenda óptica em rede externa aérea

4.3.2 – Caixa para emenda óptica para rede externa subterrânea

4.3.3 – Caixa para derivação de cabo óptico aéreo

4.3.4 – Caixa para derivação de cabo óptico subterrâneo.

4.3.5 – Caixa de derivação para usuário

5 – Drop óptico

5.1 – Drop do tipo Figura 8 de 5mm

5.2 – Drop do tipo Low Friction de 5m

5.3 – Drop com dimensão de 3mm

5.4 – Distribuidor óptico

5.5 – Roseta óptica

5.6 – Patch Cords

5.7 – Pigtails

5.8 – Conectores  ópticos

5.8.1 – Tipo de polimentos de conectores

5.8.2 – Perda por inserção IL

Carga horária : 8hs teóricas

 

Curso 5 – Planejamento, projeto, desenho e  instalação de redes FTTH

1 – Rede Óptica Passiva – PON

1.1 – Características da rede  EPON - Ethernet Passive Optical Network

1.2 – Características da rede GPON - Gigabit Passive Optical Network

2 – Arquitetura  da rede PON

3 – Topologias  da rede PON

3.1 – Topologia em Anel

3.2 – Topologia em Arvore

3.3 – Topologia em barramento

4 – Hierarquia da Rede PON

4.1 - Solução FTTN – Fibra até o Nó

4.2 - Solução FTTC – Fibra até o Armário

4.3 - Solução FTTB – Fibra até o Prédio

4.4 - Solução FTTH – Fibra até a Casa

4.5 – Benefícios da rede PON

5 – Componentes principais da arquitetura PON

5.1 – OLT – Optical Line Terminal

5.2 – ONU : Optical Network Unit e ONT : Optical Network Terminal

5.3 – Splitter, divisor óptico passivo

5.3.1 – Splitters óptico balanceado 1xN

5.3.2 – Splitter balanceado 2xN

5.3.2 - Splitter desbalanceado

5.4 – Cabos ópticos

5.4.1 – Numeração das fibras ópticas

5.5 – Caixas ópticas para emenda e derivação

5.5.1 – Caixa para emenda óptica em rede externa aérea

5.5.2 – Caixa para emenda óptica para rede externa subterrânea

5.5.3 – Caixa para derivação de cabo óptico aéreo

5.5.4 – Caixa para derivação de cabo óptico subterrâneo.

5.5.5 – Caixa de derivação para usuário

5.6 – Drop óptico

5.6.1 – Drop do tipo Figura 8 de 5mm

5.6.2 – Drop do tipo Low Friction de 5mm

5.6.3 – Drop com dimensão de 3mm

5.7 - Distribuidores ópticos

5.8– Roseta óptica

5.9 - Patch Cords

5.10 – Pigtails ou extensão óptica

5.11 - Conectores  ópticos

5.11.1 – Tipo de polimentos de conectores

5.11.2 – Perda por inserção IL

5.11.3 – Perda por retorno RL

6 – Informações fundamentais para planejamento de uma rede FTTh

7 – Procedimentos para fazer o projeto de uma rede FTTh.

7.1 – Obter uma planta baixa da área e localizar todos os pontos a serem atendidos.

7.2 - Definir os tipos de splitters a serem utilizados

7.2.1 – Divisão de potência óptica com splitter balanceado

7.2.2 – Divisão de potência óptica com splitter desbalanceado

7.3 – Definir o número de equipamentos ativos a serem utilizados.

7.3.1 – Quantificação do número de ONU´s.

7.3.2 – Quantificação do nº de placas OLT.

7.3.2.1 – Posicionamento dos splitters na planta

7.3.2.2 – Identificar o número de portas dos splitters

7.3.2.3 – Definir a topologia de conexão

7.3.2.4 – Cálculo de potencia

7.3.2.5 – Número de fibras efetivamente utilizadas.

7.3.2.6 – Determinação do número de placas OLT

7.4 – Definição do tipo de cabo óptico e quantidade a ser instalado.

7.5 – Definir o tipo de caixas de emenda / derivação e a quantidade.

7.6 – Definir tipo e a quantidade de drop

8 – Projetos

8.1 – Procedimento para cálculo de enlaces balanceados

8.1.1 – Calculo de atenuação total no sentido DOWNSTREAM  (AtD)

8.1.2 – Orçamento de potência no sentido DOWNSTREAM ou potência disponível  (PdD).

8.1.3 – Margem do sistema para o DOWNSTREAN

8.1.4 - Calculo de atenuação total no sentido UPSTREAM (AtU)

8.1.5 – Orçamento de potência no sentido UPSTREAM ou potência disponível (PdU).

8.1.6 – Margem do sistema para o UPSTREAN (MsistU)

8.2 - Procedimento para cálculo de enlaces desbalanceados

8.2.1 - Calculo de atenuação total no sentido DOWNSTREAM

8.2.2 – Orçamento de potência no sentido DOWNSTREAM ou potência disponível  (PdD).

8.2.3 – Margem do sistema para o DOWNSTREAN  (MsistD)

8.2.4 - Calculo de atenuação total no sentido UPSTREAM (AtU)

8.2.5 – Orçamento de potência no sentido UPSTREAM ou potência disponível (PdU).

8.2.6 – Margem do sistema para o UPSTREAN (MsistU)

8.3 - Procedimento para cálculo de enlaces mistos

8.3.1 - Cálculo de atenuação total no sentido DOWNSTREAM (AtD).

8.3.2 – Orçamento de potência no sentido DOWNSTREAM ou potência disponível (PdD).

8.3.3 – Margem do sistema para o DOWNSTREAN (MsisD)

8.3.4 - Calculo de atenuação total no sentido UPSTREAM (AtU)

8.3.5 – Orçamento de potência no sentido UPSTREAM ou potência disponível (PdU).

8.3.6 – Margem do sistema para o UPSTREAN  (MsistU)

9 – Desenho da rede

9.1 – Desenho em planta

9.2 – Diagrama de interligação

Carga horária : 16hs ( 8hs teóricas e 8hs práticas )

 

 

Curso 6 – Equipamentos de testes e procedimentos de medidas em Redes FTTH

1 – Introdução

2 – Testes com Power Meter

2.1 – Medida de potencia

2.2 – Medida de atenuação

2.3 – Procedimentos de testes

3 – Testes com OTDR

3.1 – Teste de comprimento

3.2 – Teste de verificação de falha

3.2.1 – Dobra

3.2.2 – Emenda

3.2.3 – Conector

3.3 – Medida de atenuação na falha

3.4 – Medida de atenuação do enlace

3.4 – Medida de reflexão

4 – Testes relacionados instalação da rede.

4.1 – Testes de potencia com Power Meter

4.2 – Testes de caracterização com OTDR

4.3 – Testes de redes com splitters balanceados

4.4 – Testes de redes com splitters desbalanceados

4.5 – Testes de redes com splitters balanceados e desbalanceados.

5 – Testes em rede ativa

5.1 – Medição de potencia óptica com Power Meter

5.2 – Caracterização da fibra com OTDR

Carga horária : 16hs ( 8hs teóricas e 8hs práticas )

 

 

 

 

Curso 7 – OTDR, configuração, procedimentos de testes,  análise de curvas e tabelas de eventos.

1 – Introdução

2 – Características físicas da fibra óptica

2.1 – Composição material

2.2 – Características geométricas

2.2.1 – Circularidade da casca

2.2.2 – Circularidade do núcleo

2.2.3 – Excentricidade do núcleo

2.3 – Dimensões

3 – Propagação da luz na fibra óptica

3.1 – Refração no interior do núcleo

3.2 – Reflexão total no interior do núcleo

3.2.1 – Reflexão interna da luz no núcleo

3.2.2 – Refração interna da luz no núcleo

3.2.3 – Índice de refração

3.2.4 – Reflexão de Fresnel

3.2.5 - Retroespalhamento

4 – OTDR - Reflectômetro Óptico no Domínio do Tempo

4.1 – Introdução ao OTDR

4.2 - Princípios de funcionamento

4.2.1 - Retroespalhamento de Raileigh

4.2.2 - Espalhamento de Fresnel

4.3 - Conceito de potencia em dBm

4.4 - Conceito de relação de potencia em dB

4.5 - Conceito de perda por inserção e o espalhamento de Rayleigh.

4.6 - Conceito de perda por reflexção e o espalhamento de Fresnel.

4.7 - Conceito de abertura númerica

4.8 – Conceito de cone de aceitação

4.9  – Conceito de zona morta

4.9.1 – Conceito de zona morta de evento

4.9.2 – Conceito de zona morta de atenuação

5 - Configuração de testes

5.1 – Parametros de configuração

5.1.1 – Comprimento de onda

5.1.2 – Largura de pulso

5.1.3 – Range de Alcance

5.1.4 – Tempo de medida

5.1.5 – Visualização em tempo real

5.1.6 – Limite de leitura de atenuação

5.1.7 – Função real time

6  -  Análise visual do traço da fibra na tela do OTDR

6.1 – Ocorrencia de  um evento não reflexivo

6.2 – Ocorrencia de um evento reflexivo

7– Analise da tabela de eventos da fibra

7.1 – Analise de um evento reflexivo

7.1.1 – Conectores

7.1.1.1 – Perda por inserção

7.1.1.2 – Perda por reflexão

7.1.2 – Emenda mecânica

7.1.3 – Fissura na fibra

7.2 – Analise de um evento não reflexivo

7.2.1 – Emenda por fusão

7.2.2 – Macrocurvatura

7.2.3 – Atenuação caracteríastica da fibra

7.2.4 – Analise da atenuação acumulada entre eventos e fim a fim na fibra.

8 – Análise visual dos eventos no traço na tela do OTDR

8.1– Análise visual de um evento não reflexivo

8.2 – Análise visual de um evento reflexivo

8.3 – Analise visual de nivel de atenuação

8.4 – Analise visual de nivel de reflexão

8.5– Identificação de distancia entre eventos

8.6 – Identificação de rompimento de fibra

8.7 – Identificação de curvatura ou fusão no traço

8.8 – Identificação da qualidade de conectores das extremidades, próxima e distante, da fibra.

8.9 – Identificação do nivel de perda do conector local no OTDR.

8.10 – Identificação de pressão lateral da fibra

10 – Procedimentos de inspeção

10.1 – Ajuste de limite de leitura de atenuação

10.2– Ajuste de largura de pulso

10.3 – Ajuste de range de alcance

11 – Procedimento de testes

11.1 – Tamanho correto do cordão de conexão ao OTDR

11.2 – Ajuste dos parametros de configuração.

11.2.1  – Comprimento de onda

11.2.2 – Largura de pulso

11.2.3 – Range de Alcance

11.2.4 – Tempo de medida

11.2.5– Visualização em tempo real

11.2.6 – Limite de leitura de atenuação

11.2.7 – Analise do range dinamico

12 – Procedimentos para geração de relatório

121 – Masuseio de software simulador de OTDR

Carga horária : 16hs ( 8hs teóricas e 8hs práticas )

 

 

Curso 8  – Instalação de Redes FTTH

1 – Introdução

2 – Características da rede de distribuição

2.1 – Produtos e dispositivos aplicáveis

2.1.1 – Distribuidor Interno Óptico ( DIO )

2.1.2 – Pig tail

2.1.3 – Cordão óptico

2.1.2 – Cabo de fibra óptica

2.1.3 – Caixa de emenda óptica ( CEO )

2.1.4 – Splitter óptico

3 – Características da rede de acesso dos clientes

3.1 – Produtos e dispositivos aplicáveis

3.1.1 – Caixa de terminação óptica ( CTO )

3.1.2 – Splitter óptico

3.1.3 – Cabo Drop

3.1.4 – Pig tail

3.1 5 – Roseta ( PTO )

3.1.6 – Cordão óptico

4 – Testes de desempenho da rede

4.1 – Testes com OTDR

4.2 – Testes com Power meter

Carga horária: 16hs ( 8hs teóricas e 8hs práticas )

Telefones e e-mail

Instituto Ibratep

+55 11 98467-4131
+55 11 2093-6543
+55 11 2092-8925
+55 11 2883-3670

OU CLIQUE AQUI E ENVIE-NOS UMA MENSAGEM >>